terça-feira, 8 de setembro de 2009

Amigos de Aluguel.

Assisti, há alguns dias, uma reportagem sobre uma nova prestadora de serviços em São Paulo que oferece amizades de aluguel. Isso mesmo, você acessa um site, traça seu perfil, o que pretende realizar e aguarda o contato da empresa com o agendamento da hora e informações sobre preço e formas de pagamento.

Você pode encontrar um “amigo” para acompanhá-lo na balada, no shopping, para ir ao salão ou até mesmo para aquele cafezinho onde se joga papo fora!!

Os acompanhantes ainda têm suas despesas pagas pelo cliente. Detalhe, a hora gira em torno de R$ 100,00 a R$ 200,00. O serviço é uma tendência de mercado segundo os empresários e empreendedores que bolaram a empresa.

Quem busca o atendimento, geralmente, são senhoras viúvas que já criaram seus filhos e hoje não têm mais a atenção da prole ou mesmo do resto da família. Para não sentir o peso da solidão, as pobrezinhas buscam o consolo nos “amigos de aluguel”. E que consolo!!!

Não consigo realizar a conexão de amizade com pecúnia. Pagar para se ter um amigo e ainda por tempo determinado e para tais saídas?

A amizade surge das afinidades, da intimidade, dos relacionamentos espontâneos. Como pagar por isto?!

Até agora me questiono onde vamos parar com uma sociedade tão vazia, egoísta e voltada para o materialismo?!

A apresentadora do citado programa, Ana Maria Braga, mega empresária, ainda debateu sobre a tabela de preços e deu dicas para os jovens empreendedores. Fiquei bege, literalmente embasbacada com a constatação de que até para se ter amigos existem pessoas que pagam por isto!!

Sexo por dinheiro envolve vários componentes, como poder, taras, aversão ao compromisso e uma dose de machismo. Mas a amizade está em outra esfera. Não se pode comprar sinceridade, respeito e cumplicidade. Sabe aquela história do colégio ou a confidência sobre o namorado, paquera, a dúvida com a roupa que será usada na festa tal,... Enfim, não se pode gerar um amigo que venha com uma conta embutida nesta relação.

Espero, sinceramente, não ver a proliferação deste tipo de atendimento. Vamos usar as novas ferramentas de contato em nosso favor para agregar pessoas e não para nos isolarmos delas.

Abaixo os “Amigos de Aluguel”.

2 comentários:

Michelinne disse...

Oi Lia, parabenizo-lhe pelo seu blog. Você demonstra ter o dom de escrever.Continue!! Em relação ao texto, constato essa solidão nos casos que atendo aos idosos. A nossa sociedade está se esvaziando cada vez mais dos valores essenciais da vida. É difícil mudar esse quadro, porém acredito que a mudança vem de dentro para fora começando em nossas casas, com nossos pais, avós e filhos.

Lia Pinheiro Alcoforado disse...

Querida,
sua opinião é muito verdadeira e pertinente!
Obrigada!

Postar um comentário