terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sentir-se na pele do outro.

Quando somos bebês, vemos o mundo a partir de uma perspectiva restrita, onde imperam nossos anseios e necessidades. Com o passar dos anos, o amadurecimento nos oferece ferramentas de conduta e respeito pelo próximo. Bem, pelo menos assim deveria ser!!

Nesse final de semana, vivi um episódio que me alertou muito sobre como devemos nos colocar sempre na perspectiva do outro. Ao analisarmos uma realidade é necessário ter cuidado com quem e o que estamos mexendo.

Muitas das vezes, julgamentos prematuros podem nos levar a “saias justas” e situações vexatórias.

O outro que será observado, analisado e criticado é uma pessoa com todas as prerrogativas das demais e sermos tolerantes e gentis é o mínimo que podemos fazer.

Não estou defendendo que não se possa criticar ou fazer observações negativas, mas será que podemos nos prender somente ao que não nos agrada??

Aprendi que o “apressado come cru” e a pressa é uma péssima conselheira.

Estar na pele do outro nos faz pensar o quanto aquele indivíduo lutou, batalhou e trabalhou para dada situação. Se é de nossa aprovação ou não é outra história.

Saber observar os prós e os contras é primordial para o ser humano. E expor uma crítica ou observação de maneira elegante e educada faz realmente toda a diferença.

Gostaria de confessar que, nesse final de semana, aprendi muitas lições: colocar-me no lugar do outro, sair de mim mesma e ver o alguém ao meu lado, não comprar problemas dos outros e só falar por mim mesma!!!

Um abraço aos meus leitores e amigos e até a próxima!!!!!!!!!!!

2 comentários:

Ariane disse...

De vez ou outra sempre é bom alertar aos amigos e leitores que devemos,muitas vezes nos colocar na "pele do outro" para sentir as situações e verificar se estamos certos em julgar...Gostei de suas colocações,continue com suas alertas!!!! Beijão amiga...

Lia Pinheiro Alcoforado disse...

Merci Ariane!!
O alerta é geral!!!
Beijocas!

Postar um comentário